Claudio Miyake

Doação de medula óssea – um convite a reflexão

20/09/2019

medula

A Semana de Conscientização e Incentivo para Doação de Medula Óssea, que acontece entre os dias 19 e 25 de setembro em Mogi das Cruzes, foi criada como uma forma de estimular a realização de ações e campanhas educativas de conscientização sobre a importância da doação de medula óssea e orientar sobre o cadastramento de doadores no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). Esta é uma excelente oportunidade para refletirmos sobre o tema.

 

Ao redor do mundo, existem mais de 36 milhões de doadores de medula óssea registrados, segundo consta no site da World Marrow Donor Association (WMDA). Apenas no Brasil, a quantidade de doadores inscritos no Redome é de mais de 4,9 milhões. Apesar do alto número de cadastros, o Redome possui uma média de 850 pacientes registrados que aguardam surgir um doador não aparentado.

 

Existem dois tipos de doação: aparentada e não aparentada. O primeiro se dá quando doador e paciente são parentes de sangue, logo, possuem mais semelhança no material genético, o que aumenta a chance de compatibilidade entre as partes. O segundo acontece entre doadores registrados e pacientes que não possuem grau de parentesco, fazendo com que seus materiais genéticos possuam menor compatibilidade. Entre irmãos, que são os indivíduos com a maior similaridade genética, a chance de se existir compatibilidade para doação é de apenas 30%. Por causa disso, a probabilidade de se encontrar um doador de medula óssea compatível não é suficiente. Mesmo com a proporção entre doadores e pacientes registrados possuindo tanta diferença, a probabilidade de encontrar uma compatibilidade é baixa demais para que a oferta consiga satisfazer a demanda.

 

É preciso entender que, nesse caso, quanto mais pessoas se registrarem como doadores, maiores são as chances dos pacientes encontrarem um doador compatível. Atualmente, o Redome é o terceiro maior registro de doadores de medula óssea do mundo, e representa a melhor chance que os brasileiros possuem de receber uma doação.

 

Para se tornar um doador, o cidadão precisa ter entre 18 e 55 anos de idade, estar em bom estado de saúde, não possuir doenças transmissíveis pelo sangue ou histórico de doença neoplásica, hematológica ou autoimune. Então, submete uma amostra de 5 ml de seu sangue para testes de tipificação HLA, o que vai servir para conferir a sua compatibilidade com algum paciente registrado no Redome. Caso passe no teste inicial, e seja identificado como compatível, o doador será contatado para realizar outros testes.

 

Quanto mais pessoas cadastrarem suas amostras no Redome, maior será a diversidade de doadores, o que amplia a possibilidade de encontrar uma doação compatível, por isso, é importante que os mogianos cumpram seu papel de cidadão brasileiro, contribuindo para que outras pessoas tenham a oportunidade de terem suas vidas salvas.

 

Para maiores informações, acesse o site redome.inca.gov.br.



Chegou a hora de somar forças para fazer a diferença!

Claudio Miyake